Foto de mulher negra cega usando um tablet
Foto: Iza Guedes / UinStock

O interesse e a necessidade pela inclusão digital e em tornar conteúdos e plataformas digitais acessíveis a todas as pessoas estão cada dia maiores. Porém, muitas pessoas ainda se sentem perdidas nesse universo e não sabem por onde começar.

Para piorar o cenário, existe uma enorme quantidade de informações, recursos, tecnologias, plugins e serviços sendo oferecidos no mercado, porém nem todos vão trazer o resultado esperado e é muito comum cair em armadilhas que podem até prejudicar a imagem de sua empresa.

Existem várias ações que podemos adotar para iniciar essa trajetória. Vamos abordar algumas delas nesse artigo.


1. Adquirir Conhecimento

A primeira coisa a se fazer é começar a conhecer um pouco mais sobre o assunto. Entender a importância da acessibilidade, as diretrizes e documentação existentes, os requisitos e boas práticas que devem ser implementados e o impacto que isso gera no público beneficiado é fundamental para tomar as decisões certas e escolher os melhores caminhos a seguir. Existem diversos canais na web que oferecem conteúdo de qualidade. No meu artigo “Acessibilidade Digital: 10 Conteúdos para Aprender Sobre o Tema” publicado no My Best Brazil, eu elenquei os que considero mais importantes. As Diretrizes de Acessibilidade para Conteúdo Web (WCAG 2.1) é a documentação mais importante e reconhecida atualmente. Atender ao nível de conformidade intermediário ou AA é o que os órgãos competentes recomendam no mundo todo.


2. Aproximar-se do público beneficiado

Ao contrário do que muita gente pensa, a acessibilidade não é somente para pessoas com deficiência. Muitos outros públicos são impactados positivamente ou negativamente com a boa ou má qualidade de acessibilidade de seu conteúdo ou plataforma digital. Conhecer mais sobre esses públicos e aproximar-se deles é uma forma de criar empatia, entender suas necessidades e conseguir produzir comunicação que faça realmente a diferença. Pessoas idosas, por exemplo, sentirão mais facilidade, conforto e segurança ao preencher um formulário de cadastro acessível ou comprar uma passagem aérea. Mas claro, para as pessoas com alguma deficiência, a acessibilidade é fundamental. Entender como uma pessoa cega acessa seu conteúdo é importante para entregar conteúdo de acordo com suas necessidades.


3. Entender onde você está e onde quer chegar

Para alcançar qualquer nível de inclusão digital, é muito importante saber em que ponto você está. Se você já possui um projeto, qual o nível de acessibilidade que ele tem? Você utiliza ferramentas ou tecnologias desenvolvidas por sua equipe ou contratadas de um terceiro? Se o projeto irá iniciar agora, o que é preciso fazer para considerar requisitos de acessibilidade? Avaliar a situação atual é muito importante para definir metas mais precisas. Vá além de ferramentas automáticas para medir erros e não hesite em buscar ajuda. Peça para pessoas com diferentes habilidades e características testarem o seu projeto. Se você tiver pessoas com deficiência em sua equipe, elas ficarão felizes em ajudá-lo. Se for necessário, contrate uma empresa ou especialistas para lhe dar um diagnóstico e orientar sobre barreiras e soluções de acessibilidade. Conhecendo o momento atual, fica mais fácil criar metas de onde se quer chegar e objetivos a serem cumpridos em determinados períodos de tempo.


4. Envolver toda a equipe de um projeto digital

Para que você alcance uma comunicação realmente acessível, é muito importante envolver toda a sua equipe no processo. Não adianta o produtor de conteúdo criar textos, imagens e audiovisual com acessibilidade, se o designer criar imagens com baixa acessibilidade para mostrar esse conteúdo ao público ou o desenvolvedor criar players de vídeo com controles que não funcionam na navegação por teclado. É importante que toda a equipe esteja consciente das etapas do projeto que precisam de atenção e assuma responsabilidades para que o resultado tenha boa qualidade de acessibilidade para todos. 

5. Incluir a acessibilidade como cultura na organização

A melhor maneira de atender aos requisitos de acessibilidade é pensar nela desde o início e por todo o ciclo de vida do projeto e não apenas no final. Por isso, é importante considerar requisitos e boas práticas, criar uma política interna de acessibilidade, executar seus próprios testes regularmente durante todo o desenvolvimento do projeto e envolver toda a equipe: produtores de conteúdo, designers, desenvolvedores, equipe de marketing, gestores, etc. Plante a semente da inclusão digital em sua empresa e mostre para todos sua importância e seu impacto.

6. Fuja de soluções mágicas

Muitas pessoas acreditam que ações simples como a instalação de um plugin ou o uso de uma tecnologia externa tornarão seus sites acessíveis, mas isso não é possível.

Na Cartilha Acessibilidade na Web, “Fascículo V – Mantendo o conteúdo acessível” do W3C Brasil, lemos o seguinte:

“Não existem filtros ou plugins ‘mágicos’ que tornam seu sítio totalmente acessível a qualquer pessoa ou a qualquer tipo de deficiência. Embora um plugin possa oferecer contraste, fazer serviço de um ‘ledor automático’, ou traduzir um texto para Libras, esses recursos devem ser avaliados com cautela, pois nenhum plugin tornará magicamente acessível, por exemplo, um processo de compra feito pela Web”.

Por isso, lembre-se sempre que a garantia da acessibilidade está no planejamento, na escrita de um bom código, na criação de conteúdo de forma adequada e em testes e validações feitos de forma automática e manual, incluindo a participação de pessoas com deficiência.

7. Acessibilidade é um processo

Acessibilidade digital é algo a ser conquistado progressivamente. Não existem sítios web 100% acessíveis e é muito difícil encontrar um sítio que não possua acessibilidade alguma. Além disso, tornar uma plataforma acessível pode necessitar de dedicação e tempo, normalmente não acontece da noite para o dia. O importante é eliminar as barreiras e ampliar o acesso a diversos públicos. Por isso, é recomendado criar a Política de Acessibilidade interna, definir metas e objetivos a serem alcançados em períodos de tempo determinados e fazer testes constantemente. E lembre-se de manter o seu canal de comunicação aberto com o público para receber feedbacks e sugestões de melhorias. Ouvir as pessoas e suas necessidades é o melhor caminho para aprimorar sua comunicação com elas. 

Por Cláudia Martin Nascimento, mestre em Estética e História da Arte pela USP e Bacharel em Desenho Industrial pela FAAP, tem 22 anos de experiência em webdesign e trabalha com acessibilidade há 10 anos. É vencedora do Prêmio Nacional de Acessibilidade na Web Todos@Web e integra o Grupo de Especialistas em Acessibilidade Web do W3C Brasil. Membro do Comitê de Estudo de Acessibilidade para a inclusão digital da ABNT para a criação de Normalização de Acessibilidade em Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). É co-fundadora do Acesso para Todos e Plataforma Móduli. Sua biografia foi publicada no Who’s Who in Research da Intellect Books – UK.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Menu